BURSITES – PEQUENAS E DOLOROSAS

O que são as BURSAS?

São bolsas revestidas internamente por uma membrana chamada ‘sinovial’, a mesma que existe dentro das nossas articulações. O conteúdo destas bursas é o líquido sinovial, uma substância de aspecto viscoso, com características de gel. As bursas contribuem para a proteção de choque e diminuem pressões e o atrito entre duas estruturas vizinhas (tendões, ligamentos e ossos). Estão em muitas regiões do corpo, mas concentram-se próximas às articulações, nas áreas de contato entre tendões, entre tendões e ossos, ou entre a superfície do osso e a pele. O joelho possui em torno de 8 bursas e podem causar sintomas intensos e limitantes. No quadril, a bursa trocantérica (sobre o trocânter maior do fêmur) é uma das mais afetadas por inflamações. Ombro, cotovelo, pés e tornozelos apresentam bursas menores, mas sintomáticas durante as inflamações.

Como surgem as BURSITES?

As BURSITES podem ser causadas por traumatismos diretos, como em decorrência de quedas. Alguns movimentos repetitivos de grande duração, como corridas longas, ou pedal, podem desencadear bursites crônicas em regiões específicas. Algumas doenças reumáticas, como a gota e artrite reumatóide, se manifestam também com bursites, em casos específicos. Alguns ferimentos de pele infectados correm o risco de vir acompanhados do problema. Uma queda sobre o joelho pode provocar, por exemplo, o aumento na produção de líquido ou até sangramento de uma ou mais de suas bursas, o que caracteriza inflamação chamada de bursite traumática ou bursite aguda. Após o traumatismo ou esforço repetitivo, as bursas podem produzir grandes volumes de líquido sinovial, causando aumento de temperatura local, dor e limitações de movimentos, em função da distensão das partes moles ao redor. A articulação corre o risco de perder provisoriamente seus contornos habituais, dando aspecto de inchaço localizado ou até generalizado. Algumas bursites podem causar adesões de partes moles, cicatrizes e calcificações.

Como as BURSITES são diagnosticadas?

A história clínica e exame físico adequado permitem o diagnóstico clínico correto na maioria das vezes. Pode-se confundir uma bursite aguda com inflamação da articulação (sinovite aguda), infecções da articulação (pioartrite) ou da pele (celulite, erisipela). O exame de ultrasom permite identificar as bursas e determinar suas dimensões, além de revelar características de seu conteúdo. A ressonância magnética possibilita identificar as bursas de forma mais anatômica, além de afastar outros diagnósticos, como as lesões articulares e as sinovites. A aspiração do conteúdo da bursa revela informações sobre as características do líquido, além de permitir uma análise microscópica específica, com identificação de células inflamatórias ou infecciosas e cultura do material para avaliar crescimento bacteriano.

Como as BURSITES são tratadas?

As bursites agudas normalmente respondem positivamente com o tratamento à base de antiinflamatórios não hormonais, crioterapia (gelo), analgésicos e repouso. A punção (aspiração do conteúdo) permite a diminuição do volume e da tensão, aliviando os sintomas nas bursites volumosas. As infiltrações com corticosteróides também fazem parte do tratamento das bursites. O repouso relativo até que ocorra a melhora dos sintomas é importante para que o tratamento seja eficiente. A cirurgia de ressecção da bursa está indicada raramente nos casos de persistência dos sintomas após longo tratamento clínico ou limitações dos movimentos no esporte.

Share

51 opiniões sobre “BURSITES – PEQUENAS E DOLOROSAS”

  1. Mario, procure se consultar pessoalmente com um ortopedista, de preferência especializado em lesões nos ombros e articulações.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>